Quatro estações e uma manhã

Imagine-se em uma manhã de primavera, no silêncio que ela traz
Sendo quebrado apenas pelos singelos cantos dos pássaros,
Onde levam consigo a alegria de uma manhã,
Sinta a brisa elevando seu ser, e permita sua paz renascer diante desta mesma manhã,
Caminhe entre as árvores, com a intenção de observar suas deixas
Mas não vá sozinha!
Leve consigo sua manhã, que irradia sua alma que outrora se flagelava.

Imagine-se numa manhã de verão, deitada sob a sombra de uma árvore,
Para sentir a pequena brisa que restou da primavera, à beira de um lago de águas claras,
Onde pode-se observar sua linda face diante do reflexo,
Iluminado pela manhã que te alegra, te rejubila e te anima,
Sinta os vários aspectos que esta manhã pode lhe conceder,
Mas não faça isto a só!
Leve-a consigo, pois ela gosta de ouvir tuas histórias e de ler teus pensamentos.

Imagine-se em uma manhã de outono, onde são recolhidas as deixas da primavera,
Veja que sua manhã não se recolheu, não lhe abandonou, não te esqueceu,
Caminhe por onde nunca havia caminhado, e perca-se em sua manhã,
Veja o sorriso sereno que ela lhe traz, sinta o orvalho nas simples folhagens,
Mas não confunda-as com lágrimas,
Pois lágrimas são o que uma manhã nunca irá trazer até você,
Observe a natureza, e cante com tua doce voz o som que te agrada
Mas não faça isto sozinha!
Convide sua manhã para ouvir, pois seu suave canto a encanta.

Imagine-se por fim em uma manhã de inverno,
Ouça o barulho do vento soando como um sopro de uma flauta,
Veja lá fora o tom rústico que o inverno proporciona,
O frio bate à sua porta, mas sua manhã já entrou,
E apesar de ser cedo, ela não sairá tão cedo,
Se porventura o inverno trouxer a chuva,
Assim como o orvalho, não confunda-as com lágrimas,
Sinta cada gota, pois sua manhã irá transforma-las em alegria,
Abra os braços e as mãos,
Abra um sorriso para completar o desejo de quem quer ser envolvida pela manhã,
Fite o horizonte, acompanhe o deslocar da neblina e não pense em nada,
Aliás, pense em sua manhã,
Mas não faça isto sozinha!
Chame-a, pois sua manhã também é observadora, e gosta de observar tua face.

Sua vida nunca anoitecerá,
Pois eu sou sua manhã,
E acredite… Ela prevalecerá.

Alan Batista

Anúncios

Um comentário sobre “Quatro estações e uma manhã

  1. Ahhh meu Deus do céu.. será que você é a minha manhã, Alan Goulart??
    kkk
    Tá lindo o poema, parabéns amor ^^

    S2

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s